Crítica – Batman vs Superman: a Origem da Justiça

the-hidden-plot-of-batman-vs-superman-dawn-of-justice-593860

Noite de pré-estreia do filme Batman vs Superman: a origem da justiça, um dos filmes mais esperados do ano, talvez até mais do que isso, afinal todo fã de quadrinhos cresceu assistindo alguma versão animada da Liga da Justiça. Ao contrário da Marvel, a DC sempre teve sua trindade de heróis, formada por Batman, Mulher Maravilha e Superman, no imaginário infantil, mesmo em tempos em que os Vingadores e o Universo Cinematográfico Marvel está em alta com o público em geral.

batman_v_superman__dawn_of_justice___teaser_poster_by_iakko92-d7t4yf4Voltemos ao filme. A sessão começa e a ambientação na sala começa a ser construída nos trailers. Uma sequência massiva de quadrinhos antecedem ao filme, com Esquadrão Suicida, Capitão América: Guerra Civil, e fecha com X-Men: Apocalipse. Pronto, o espírito nerd a flor da pele dispara, principalmente com a aparição do Homem-Aranha em Guerra Civil. Confesso que achei bem arriscado porque eleva a expectativa e isso pode levar a uma frustração que pode prejudicar a repercussão do filme que está por começar.

Mas Batman vs Superman não corre esse risco. O filme é, como posso dizer, um verdadeiro superlativo. Tudo é grande demais, as batalhas, as brigas, os personagens, e o drama. Em outras palavras, quadrinhos em movimento, ao melhor estilo do diretor Zack Snyder. O roteiro, a direção e as atuações deixam claro que o filme foi feito pensando nos fãs de quadrinhos, e de quebra no público em geral.

É o tipo de filme que ou se ama ou se rejeita, é bem difícil ficar em cima do muro. As referências aos clássicos DC saltam na tela, porém não estão soltos, mas bem amarrados. O problema é que, se você não conhece a mitologia da DC Comics vai se sentir um tanto confuso e perdido, já os leitores de antiga da data se sentirão totalmente em casa. Fica visível que essas pontas soltas vão se resolver no vindouro filme da Liga da Justiça, mas também deixa no ar que podem.se desenvolver ao longos dos filmes solo que estarão nos cinemas antes do supergrupo aparecer.

Henri Cavill realmente cumpriu sua promessa e o Superman está mais fiel aos quadrinhos, assim como Ben Affleck, que mostrou ser infundadas as dúvidas sobre ter sido escolhido para viver o novo Batman. Sim, o novo Batman, porque é uma versão bem diferente do que já foi mostrado nas telonas.

Gal Gadot deixa claro que essa é a Mulher Maravilha dos cinema, e não uma versão caricaturada da personagem da clássica série de tv. É impressionante vê-la em cena. Quem talvez cause maior impacto é o Luthor de Jesse Einseberg, afinal nos acostumamos com Gene Hackman e Kevin Space, já maduros e carecas. Ver um Luthor cabeludo e novinho distoa do senso comum, mas é o Luthor, cínico e homicida, com um ódio e uma obsessão pelo Superman que vai ao extremo.Batman-v-Superman-Dawn-of-Justice-poster

No elenco de apoio podemos destacar o Alfred de Jeremy Irons, que está impecável. Talvez seja quem melhor captou a essência do personagem, com a ironia no.ponto certo, agindo como time realmente junto com o morcego. O Perry White de Laurence Fishburne também está bem fiel aos quadrinhos. Já Lois, bem, é uma Lois que serve de alívio romântico e a personificação da donzela em perigo, muito longe da versão audaciosa e independente dos gibis.

Voltemos à trindade. Superman lembra muito a fase Dan Jurgens, mais cético e menos ingênuo, porém o ponto fraco ainda é a necessidade de se por em negrito seu relacionamento com Lois. Isso acaba tirando a dinâmica do herói, mas o deixa bem exposto à luz mais próximo de ser um humano. Porém, não foge muito do que nós foi apresentado em Homem de Aço. Bruce é realmente o contra ponto, imerso nas sombras.

O que encontramos é um Batman maduro é já bastante experiente no combate ao crime. Ele já está estabelecido enste universo e os vinte anos de carreira pesam sobre seus ombros. Está muito próximo do que sempre se pediu para o personagem nos cinemas. O Batman é sombrio, meticuloso e acima de tudo, não mede esforços para erradicar o crime. Não existe ameaça grande demais para ele, apenas um serviço que deve ser feito, mesmo sabendo que poderá não sobreviver no processo. Justamente neste ponto é que a trama se desenrola.

Ao perceber que Kal-El é um ser que não se pode controlar, caso se vire contra a humanidade, decide que o kriptoniano é um mal em potencial e deve ser erradicado.

Já Diana é a personificação da mitologia grega. Vê-la em ação te faz esquecer que é um filme sobre quadrinhos. O modo como luta e brande a espada no remete aos antigos heróis gregos, com o típico sorriso cínico no rosto enquanto luta, aquele de quem curte de verdade aquela batalha. Impõe um respeito impressionante.

Luthor é um mix de várias versões, mas principalmente do jovem Luthor, barbudo e cabeludo, que tem seus experimentos secretos. Seu jeito jovial camufla perfeitamente o criminoso psicopata.

Algo que incomoda é a sensação de que foi mostrado muito dele no trailer oficial, tirando a surpresa, mas não é um trailer extendido. O contexto nas entrelinhas vai desenhando aos poucos, quadro a quadro, o futuro do universo DC no cinema. Talvez o desfecho da tão esperada batalha entre os dois protagonistas não agrade a todos e acabe por se tornar uma solução simplista demais, porém o filme trata da “origem da justiça”, sendo algo como Liga da Justiça zero, e isso está lá e o que realmente é entregue a quem vai assistir o filme. Batman vs Superman: a origem da Justiça é um filme sobre origem, não de um ou outro herói, mas dá própria Liga da Justiça.

Recomendo assistir o especial da CW sobre esse novo universo e o nascimento da Liga da Justiça, esclarece realmente algumas questões do filme. Leitura de antigas sagas e arcos dos heróis, principalmente Batman e Superman, também aumentam a experiência nerd.

Em resumo, o filme funciona muito bem e de uma forma nova e diferente, mostrando que esse não é um segmento de filmes saturado e que se pode coisas interessantes neste novo universo de heróis nas telonas. Uma má notícia para a Marvel, que finalmente encontrou seu rival no mundo cinematográfico, e terá de se esforçar mais para não perder a parada.

Batman vs Superman é um filme que vai gerar muita polêmica entre os fãs e teorias sobre o que está por vir durante um bom tempo.

Batman-v-Superman-Dawn-of-Justice-Logo

Com direção de Zack Snyder, Batman Vs Superman – A Origem da Justiça estreia dia 24 de março de 2016. O filme traz  Batman (Ben Affleck), Superman (Henry Cavill), Lex Luthor (Jesse Einsenberg), Mulher-Maravilha (Gal Gadot), Flash (Ezra Miller), Ciborgue (Ray Fisher) e Aquaman (Jason Momoa).

 

Assista ao trailer do filme

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *