Critica – Capitão América: Guerra Civil

capitao-america-guerra-civil

capitao-america-guerra-civil-3Com um pouquinho de atraso, mas aqui estamos para falar sobre um dos filmes mais comentados do momento, Capitão América: Guerra Civil!

O filme mantém a pegada que se tornou uma identidade para os filmes da Marvel, em outras palavras, muita ação, personagens carismáticos e um roteiro simples e que atinge o público pretendido.

O elenco veterano mantém o ritmo e o desempenho visto até agora nas produções da Marvel, com um destaque para Downey Junior, que consegue evoluir Tony Stark a cada filme, trazendo sempre algo novo e provando que sua contratação foi o tiro mais certeiro no universo cinematográfico da Marvel. Quanto aos novatos, acabam roubando a cena durante a sequência de luta no aeroporto entre os dois times de heróis,destaque para Homem Formiga e Homem-Aranha.

capitao-america-guerra-civil-homem-aranhaA introdução do Homem-Aranha no universo cinematográfico da Marvel rola da melhor maneira, e Tom Holland não decepciona os fãs que ansiavam em vê-lo. É um Aranha mais leve do que às versões anteriores na telona, mais moleque, enquanto Scott Lang (Paul Rudd) traz consigo o clima bem humorado do filme do Homem Formiga.

O enredo, como nos quadrinhos, se desenrola a partir de uma ação mal controlada, aqui no caso pelos Vingadores, em que há várias baixas civis. Para tentar ter controle sobre situações como esse, é criada regulamentação, no caso do filme o Tratado de Sokovia, para que os heróis passem a ser supervisionados.

capitao-america-guerra-civil-confrontoComo esperado, há um racha entre os heróis quanto à legitimidade e necessidade desta regulamentação. De um lado um Tony Stark assombrado pelas consequências de seus atos como Homem de Ferro, que acabou a morte de inocentes nos eventos de Homem de Ferro 3 e Vingadores: Era de Ultron. Do outro o Capitão América que acredita que isso iria engessar a operação dos Vingadores, com a possibilidade de torná-los fantoches dos governos por traz do tratado.

Soma-se a isso um incidente no dia da assinatura do Tratado de Sokovia envolvendo o Soldado Invernal e assim estoura a Guerra Civil entre os heróis.

Simples e objetivo, o enredo consegue agradar público e crítica, que já se acostumaram com o padrão Marvel/Disney de fazer filmes de superheróis, e que hoje tornou-se referência para esse gênero nas telonas.  As cenas de confronto são bem planejadas e saltam aos olhos dos fãs mais ardentes da Marvel e ao público em geral. Isso faz com que a sensação de ação ininterrupta, mesmo nos momentos de tensão entre os personagens.

capitao-america-guerra-civil-zemoO filme se torna tão frenético que a falta de um grande vilão na trama não se faz necessário. O antagonismo entre Stark e Rogers é o suficiente para dar o tom da história, que revela depois a participação do Zemo (Daniel Brühl), que no filme não é um Barão, mas uma espécie de guerrilheiro.

capitao-america-guerra-civil-pantera-negraO Pantera Negra, vivido por Chadwick Boseman, também aparece bem e participa de alguns dos melhores momentos de ação do filme. No entanto, há de se ressaltar alguns pontos que não correspondem tão bem assim. 

O pano político para deflagrar a Guerra Civil não é um fator decisivo para o confronto, mas sim o envolvimento do Soldado Invernal nos eventos catastróficos do filme. Outra coisa que incomoda, uma guerra com dez pessoas e que acontece apenas durante alguns minutos em um lugar. Tudo bem que a gente entende que o orçamento ficaria impraticável para fazer algo em uma escala como nos quadrinhos, mas poderia pelo menos ter mais conflitos da Guerra Civil, que acaba sendo mais Capitão América: Soldado Invernal misturado com Era de Ultron.

capitao-america-guerra-civil-tia-mayA jovem tia May Parker tão é um tanto desconfortável para quem está acostumado com a velha senhora de cabelos grisalhos que cria o sobrinho adolescente. Para quem está chegando agora, faz mais sentido ver a Marisa Tomei criando um adolescente, mas particularmente ainda acho bizarro o Stark xavecando a tia May.

Em resumo o filme entrega muito bem o que prometeu e gera grandes expectativas quanto ao futuro do Universo Cinematográfico Marvel na comentada fase 3. Um grande filme, porém não chega a ser um divisor de águas ou o melhor dos filmes de heróis, porém é divertimento garantido.
A grande sacada é, curtiu Era de Ultron? Capitão América: Soldado Invernal? Então prepare-se para ficar extasiado, senão, vá sossegado para curtir um bom filme. Ah! Não saia do seu lugar no cinema antes de assistir às duas cenas pós-créditos porque depois não vale reclamar quando ouvir os amigos comentando.

capitao-america-guerra-civil-2O filme, dirigido por Anthony Russo e Joe Russo, tem em seu elenco Chris Evans (Steve Rogers / Capitão América), Robert Downey, Jr. (Tony Stark / Homem de Ferro), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff / Viúva Negra), Sebastian Stan (Bucky Barnes / Soldado Invernal), Anthony Mackie (Sam Wilson / Falcão), Emily VanCamp (Sharon Carter / Agente 13), Don Cheadle (James “Rhodey” Rhodes / )Máquina de Combate), Jeremy Renner (Clint Barton / Gavião Arqueiro), Chadwick Boseman ( T’Challa / Pantera Negra), Paul Bettany (Visão), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff / Feiticeira Escarlate) e Paul Rudd (Scott Lang / Homem-Formiga).

 

Assista também aos trailers do filme

One thought on “Critica – Capitão América: Guerra Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *